Empregados que aderiram ao PDV poderão ser lesados pela Caixa

517
FONTEAPCEF/SP
APCEF/SP

Ainda não há confirmação formal por parte da Caixa quanto aos rumores de cancelamento ou suspensão do Programa de Demissão Voluntária (PDV), lançado pelo banco público em 17 de maio.

A APCEF/SP encaminhou ofício solicitando esclarecimentos urgente com relação ao assunto. A Caixa ainda não respondeu.

A atitude da Caixa, caso o cancelamento ou suspensão do PDV se confirme, deve-se a Medida Provisória nº 889, publicada em 24 de julho de 2019 que dispõe sobre a possibilidade de movimentação das contas do Programa de Integração Social – PIS e do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público – Pasep, para instituir a modalidade de saque-aniversário no Fundo de Garantia do Tempo de Serviço – FGTS.

Há tempos a APCEF/SP cobra da Caixa a contração de mais empregados, devido a demanda em suas unidades e a sobrecarga abusiva.

Episódio de demanda de liberação de FGTS, por exemplo, não é novo para a Caixa, já aconteceu em 2017. Naquela ocasião, a empresa solucionou com abertura das unidades e deslocamentos de empregados em horários e dias extraordinários, que extrapolaram o expediente e a jornada do empregado, confirmando a denúncia da APCEF/SP de que o banco público precisa de mais empregados.

Desta vez, a solução que a Caixa poderá implantar será o cancelamento ou suspensão do PDV para manter os empregados na empresa, caso se confirme.

Solucionará o seu problema e ignorará a programação de seus empregados que aderiram ao PDV. Caso a atitude se confirme, será mais uma para a coleção de arbitrariedades que a empresa vem tomando com seus trabalhadores.

Vida das pessoas – Os empregados aderiram ao PDV após reflexão, planejamento com familiares e muitos estudos. Há relatos de empregados que já venderam seus imóveis, familiares que mudaram de cidade ou mesmo pessoas que se comprometeram com negócios contando com o dinheiro do Programa, situações irreversíveis.

A Caixa desprezará todas essas situações e desconsiderará o impacto que essa medida causará na vida das pessoas.

A Associação oferecerá o apoio jurídico necessário para que os direitos destes empregados sejam resguardados.

Vale destacar que muitos empregados decidiram aderir ao PDV por conta da situação funcional que a própria Caixa proporcionou a estes profissionais.